quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Para Gostar de Vinho!

No final da década de 70 foi lançada, aqui no Brasil, uma coleção da editora Ática chamada Para Gostar De Ler, a ideia era levar ao público grandes escritores e como dizia o título aguçar o gosto pela leitura e a literatura. No vinho vimos algo semelhante no final dos anos 80 com os vinhos da garrafa azul. 
O primeiro livro da coleção era um livro de crônicas dos consagrados Rubem Braga, Fernando Sabino, Paulo Mendes Campos e Carlos Drummond de Andrade, uma doçura de leitura, assim como esse vinho alemão Liebfraumilch, essa edição vendeu muito e o vinho também.
A coleção vendeu milhões de exemplares em seus 47 volumes e o vinho abriu a porta para muitos outros, como os Concha Y Toro reservado, Marcus James, Almadén, Forestier, Bon Sol e outros...

domingo, 14 de agosto de 2016

Filhos orgulhosos, Pais Presenteados!

Essa semana, depois de muito tempo, coloquei o Descomplicando o Vinho no instagram, ainda preciso aprender a lidar bem com essa rede social, mas o interessante e coincidente é que isso se deu neste período que antecede o dia dos pais e por diversas razões acabei escolhendo um imagem para representar a data. 
A imagem é a famosa e brilhante foto do criador do fotojornalismo Henri Cartier-Bresson chamada “Rue Mouffetard Paris (1954)” que retrata um garoto carregando duas garrafas magnum (1,5 lt) de vinho com o sorriso de orgulho.

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Consumo de vinhos no Brasil, uma visão descomplicada!

Por incrível que pareça o consumo de vinhos no Brasil, apesar dessa crise, está crescendo.
Essa afirmação é uma constatação de dados estatísticos, mas também algo que percebo no dia a dia.
 
Quando conversamos com os tradicionais enófilos, lojistas, profissionais de restaurantes é natural ouvirmos que bebem com mais regularidade, mas a percepção se amplia quando falamos com os consumidores comuns, aqueles que não têm nenhuma “formação”, aqueles que não fazem cursos ou frequentam degustações de lojas e feiras, falo dos vizinhos, taxistas, vendedores de lojas de roupas, enfim: o consumidor.
É cada vez mais comum ouvir: “nesse final de semana bebi uma ou duas garrafas de vinho; ou abrimos um espumante para comemorar...”. São ecos vindos da população em geral, não daqueles que desfilam com suas garrafas ou postam no instagram, mas efetivamente do consumidor comum. 

 De tanto ouvir fiquei curioso em saber o que nós brasileiros, consumidores mortais estamos bebendo.
Nesse ponto, você já deve estar pensando: ah!, bebemos vinhos chilenos.

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Olimpíada Rio 2016 – A trajetória do Vinho!

Hoje começa a Olimpíada Rio 2016 e pela primeira vez na história sediamos o mais importante evento esportivo mundial. 
Com certeza viveremos momentos festivos, comemorando medalhas, recordes e a presença dos mais renomados atletas do planeta.

Mas o que tem os jogos olímpicos em comum com os vinhos?  Bem,  o berço grego responsável pelos primeiros jogos é também responsável pelo grande avanço do consumo e das grandes descobertas que impulsionaram o desenvolvimento do vinho como conhecemos hoje.

O vinho sempre esteve presente nas comemorações esportivas, nas vitórias, nas derrotas, pelos esportistas, pelos que assistem e nos dias atuais ganham brilho de apoiadores ou licenciados oficiais. Sim, o vinho é também um personagem importante nesses eventos e no caso da Olimpíada contribui para o resultado econômico e prazeroso dos jogos. Ocorre que parte do que se arrecada vêm dos produtos licenciados, aqueles que vêm com o selo oficial dos jogos. 
Nesse quesito o Brasil participa, e muito bem, já pela segunda vez ganha uma medalha de ouro.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...