quinta-feira, 13 de julho de 2017

Entre feiras e encontros!

Costumeiramente me reservo o compromisso de ir a três eventos no ano, que julgo serem os mais importantes do vinho no Brasil: Guia Descorchados, Expovinis e Vitória Expovinhos.

Esse ano já fui a muitos outros, mas também para divulgar o espetáculo que estreamos essa semana (Wine Comedy, com Marcelo di Morais).

Tenho ampla simpatia pelos eventos, mas confesso que em muitos momentos o ir e vir de São Paulo atrapalha um pouco, além disso durante muito tempo o “mais do mesmo” andou cansando, porém nesse momento percebi, muito provavelmente pela ebulição do no mercado de vinhos no Brasil que vem se modificando muito, que o público dos eventos vem se desconcentrando, mesmo encontrando as mesmas pessoas (as vezes muito chato) nos mesmos eventos, muita gente diferente se distribui entre os eventos.

terça-feira, 30 de maio de 2017

Uma Paixão Nacional, Destaque Mundial?!


Meu apreço pelo vinho nacional não é de hoje, em meu livro reúno dados históricos compilados de fontes diferentes e levo uma informação, apesar de já um pouco desatualizada ainda com bom teor. Bom teor, sim e com belas novidades!

foto: Mikaela Paim
Recentemente estive visitando duas vinícolas (e vale muito a pena as visitas), uma no interior de São Paulo; a Guaspari (recentemente condecorada com a medalha de ouro da *Decanter World Wine Awards 2017, pelo seu Syrah Vista do Chá 2014)  e outra em Minas Gerais; a Casa Geraldo.

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Descomplicando o Vinho e Wine Comedy


Duas paixões que se unem materializando um evento, no mínimo, auspicioso (como gosto dessa palavra...). O vinho e o teatro, vinho e comédia, suas facetas, casos, histórias e o bom humor.

Desde o inicio da minha profissionalização no vinho já era ator, aliás, aos 16 anos me introduzi nesse apaixonante mundo das personagens, aos 24 formado em psicologia (outra paixão) tive a oportunidade de ingressar no peculiarmente prazeroso universo do vinho.
De lá pra cá sempre que pude misturei essas vivencias buscando ativamente transformar o intimo e particular em algo público e generoso, transbordar minhas paixões intimas de forma organizada, pedagógica e lúdica levando conhecimento, informação, tanto daquilo que é liquido, quanto daquilo que é arte e sentimento.

 Escrever, palestrar, ministrar aulas, apresentar programas, enfim me dirigir ao público com respeito e admiração pela comunicação.
Sim é emocionante, é clássico, assim como a cada degrau que percorremos, aumenta a responsabilidade em realizar um trabalho digno, mas prazeroso e fluido de energias em fazer o melhor.  Com tanta estrada percorrida por que não após atingir a maioridade plena, depois de quase 24 anos de trabalho no vinho, não fazer algo com muito humor envolvido?
Foi exatamente isso que nos propusemos meu amigo, humorista, sommelier e grande cara Marcelo di Morais e eu. Assim nasceu, da cabeça dele, o Wine Comedy Stand Up e eu abracei de corpo, alma, e esse espírito dionisíaco a que pertenço.

terça-feira, 18 de abril de 2017

Feliz dia da mentira

Ainda estamos em abril...
Uma dessas datas que não sabemos ao certo, segundo o que pesquisei, a data nasceu na França no começo do século XVI, o ano novo era festejado no dia 25 de março, inicio da primavera, essas festas duravam uma semana e terminavam no dia 1 de abril. Ocorreu que em 1564, depois da adoção do calendário gregoriano, o rei Carlos IX de França determinou que o ano novo seria comemorado no dia 1 de janeiro. Alguns franceses resistiram à mudança e continuaram a seguir o calendário antigo, pelo qual o ano iniciaria em 1 de abril. Gozadores passaram então a ridicularizá-los, a enviar presentes esquisitos e convites para festas que não existiam. Essas brincadeiras ficaram conhecidas como “plaisanteries”.
O fato é que a ideia é uma forma sarcástica de desvirtuar uma realidade existente, e às vezes a mentira é tão bem contada que até acreditamos, nem que seja por um instante.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...